Guarda-Roupa

Esta peça, embora não tenha identificação temporal explicita, estará situada algures entre os anos 40 com influências de estilo nos anos 20 e no estilo Art déco. O Guarda roupa é marcadamente invernal e muitos dos figurinos foram pensados de maneira a poderem ser vestidos sobre outro. Este factor deveu-se ao pormenor dos actores terem cerca de 45 segundos para trocar do figurino que usavam no elogio fúnebre do engenheiro Luis Silva para aquele que usaram na primeira cena. A peça termina e acaba com a mesma cena, sendo que é na festa inicial que se dá o assassinato do engenheiro e é na cena final que se analisa em câmara lenta todos os acontecimentos para que se chegue ao assassino.

Teatro União 2016

Anúncios
%d bloggers like this: